quinta-feira, 5 de maio de 2011

Banana Nutrientes e Propriedades Terapêuticas


Nome popular BANANA
Nome científico Musa paradisiaca
Fotos ampliadas 1
Família Musaceae
Princípios ativos Ácido ascórbico, tiamina, riboflavina, niacina
Indicações terapêuticas Cãibras, fadiga, alterações nos batimentos cardíacos, vários tipos de alergia, TPM, prisão de ventre, diarréia infantil.
Informações complementares Origem
Não se conhece exatamente a origem e classificação botânica da banana. Muitos pesquisadores consideram-na oriunda da Ásia meridional, da Índia, onde é cultivada há milênios; outros, da América tropical. Nossos índios já a cultivavam na época do descobrimento do Brasil.
Uso medicinal da bananeira (Fonte: Purdue University)
Espécies alimentícias
A banana pertence ao gênero Musa, que compreende 40 espécies. Destas, apenas três espécies são alimentícias:
  • Musa paradisíaca L.
  • Musa sapientum
  • Musa cavendish
Descrição
É uma árvore formada por folhas cujas bainhas supostas formam uma espécie de tronco, que não passa de um pseudotronco. O fruto forma cachos e, conforme a espécie, há cachos com mais de 200 frutas.
As mais conhecidas são:
  • Banana-ouro: tem casca amarela e fina, com polpa também amarela. Mede de 5 a 7 cm. É ligeiramente encurvada. Conhecida no Norte e Nordeste do país com o nome de “inajá”, é uma das mais cultivadas.
  • Banana-prata: tem casca de cor amarela e polpa creme, medindo de 10 a 15 cm. É a mais popular.
  • Banana nanica ou caturra: tem casca amarela e polpa brancacenta (creme). Em outras regiões, recebe o nome de banana d’água ou nanicão. O tamanho varia de 12 a 20 cm. É a mais cultivada, principalmente em São Paulo.
  • Banana-maçã: tem casca fina e amarela, polpa branca, macia e perfumada. Mede de 5 a 10 cm. Por ser mais digestiva, é a mais indicada pelos pediatras para recém-nascidos.
Nutrientes e Propriedades Terapêuticas
Encontrada em quase todos os lugares do mundo, ela é uma fruta muito apreciada e saborosa. Trata-se, sem sombra de dúvidas, de uma das frutas mais populares e nutritivas entre todas as conhecidas do planeta. Suas propriedades químicas diferem pouco de uma variedade para outra. E ela é conhecida, também, como uma das frutas mais higiênicas conhecidas, pois ao descascá-la não é necessário pegar na polpa. Esta sua forma simples e altamente prática é, inclusive, colocada pelos especialistas que criam móveis e outras centenas de objetos de nosso uso diário como o “exemplo perfeito de design”.
O mais importante é conhecer o seu conteúdo nutricional e ver o que ela nos oferece de especial no fortalecimento do corpo humano e combate ou prevenção à enfermidades.
A banana é muito rica em minerais e tem grande quantidade de ferro, que ajuda na hemoglobina do sangue, contra a anemia, principalmente em grávidas e crianças. Ela tem magnésio, que ajuda a combater muitas espécies de alergia – inclusive a febre do feno.
Segundo pesquisadores da Alemanha, a ingestão de três bananas médias fornece cerca de 180 mg de magnésio. Mas o seu forte é uma grande quantidade de potássio, mineral necessário para contração muscular, evitando cãibras, fadiga e alterações nos batimentos cardíacos.
A banana é fonte essencial de energia e, sendo de fácil acesso e tornando a refeição ligeira, passou a ser o alimento ideal para os desportistas sujeitos aos grandes desgastes nos esforços físicos.
O potássio ajuda ainda na transmissão dos impulsos nervosos e recompõe a perda deste mineral nos casos de diabetes, auxilia os pacientes com hipertensão ou com problemas cardíacos e, também, nos casos de diurese provocada em pessoas em regime de emagrecimento.
A banana ainda possui o cálcio tão necessário para fortalecimento dos ossos, dentes e as células do nosso corpo.
Vitaminas
Vejamos as vitaminas encontradas nesta fruta: A (beta caroteno), necessária para o funcionamento do sistema imunológico, ajudando a diminuir o tempo de duração das doenças.
Vitamina C (ácido ascórbico), que ajuda a aumentar a imunidade e oferece proteção contra o câncer; B1 (tiamina), que ajuda a manter normal o funcionamento do sistema nervoso, músculos e coração; B2 (riboflavina), que ajuda na cicatrização das feridas, e a B5 (niacina), que interfere no metabolismo das gorduras e açúcares.
Outros benefícios
Ela é ideal para integrar a dieta de mulheres que sofrem de síndrome da tensão pré-menstrual (a TPM). A banana maçã combate o colesterol e ajuda a evitar prisão de ventre. Uma pesquisa, vinda da Inglaterra, informa que a ingestão de bananas forma um fermento digestivo, do tipo dietético, que protege contra o câncer do estômago.
Alcaliniza o sangue no caso da acidez no estômago, facilitando a digestão. Estimula os rins na depuração de elementos tóxicos; no caso de infecção do fígado, ajuda no fortalecimento celular.
A banana é, também, ótima para combater a diarréia infantil, sendo o remédio provido pela Natureza para facilmente curá-la. Sendo assim, a dieta à base de banana, comumente recomendada pelos pediatras, é adequada – diz o professor William B. Greenough III, da Johns Hopkins University e presidente da Fundação Internacional para a Saúde da Criança.
Referência
Extraído do livro As Incríveis 50 Frutas com Poderes Medicinais, autoria de Lelington Lobo Franco, escritor, pesquisador, químico-fitologista (Curitiba, PR).
Colaboração
O texto foi enviado pelo autor do livro citado!
Banana em outros sites
* Uso medicinal da bananeira
Todas as partes da bananeira têm aplicações medicinais. As flores são usadas na bronquite, disenteria e em úlceras. As flores cozidas são dadas aos diabéticos. A seiva adstringente da planta é empregada em casos de histeria, epilepsia, lepra, febre, hemorragia, disenteria e diarréia aguda, sendo também aplicada em hemorróidas, picadas e mordidas de insetos e outros animais.
As folhas novas são utilizadas em compressas para queimaduras e outras afecções da pele. As cinzas adstringentes da casca verde e das folhas são utilizadas no tratamento da disenteria e diarréia e também em úlceras malignas. As raízes são administradas em desordens digestivas, disenteria e em outras doenças. A mucilagem da semente da banana é utilizada nos casos do catarro e diarréia na Índia.
* Tradução: Mário Sérgio Sigrist (Mestrando em Genética e Melhoramento de Plantas - IAC/SP). Texto original publicado na Purdue University
Fonte: http://ci-67.ciagri.usp.br/pm/index.asp 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...